3 de julho de 2017

Café

Imagem da net

Quente e sem açúcar. Não vivo sem... 
Às vezes forte; Às vezes doce; Às vezes só; Outras acompanhado; Frio? Jamais.

Ontem, Domingo, fui tomar café à praia. A ideia era ir beber um café, de modo a conseguir espairecer, aproveitar o dia e estar tranquila durante alguns minutos, como todos nós fazemos, hábito comum e recorrente. Até aqui tudo muito bem.
Na mesa vizinha estava um jovem casal com duas bonitas crianças, porém, irrequietas. Duas meninas com cerca de seis ou sete anos, no máximo.
O Pai, mudo e tranquilo com os olhos postos no Ipad lá ía bebericando o seu café expresso.
A Mãe, um pouco menos paciente mas também de telemóvel na mão e chávena ao lado.
As miúdas brincavam, falavam alto e como chamada de atenção ou comportamento típico para as idades em questão, pediam também um café expresso aos pais. Obviamente!
- Mãe, também queremos café. Pode ser Mãe?
- Mãeeee...

Após algum tempo nesta insistência, a Mãe destas já completamente enfurecida tenta acalmar as meninas, em altos berros, pois claro.
Ok, aqui terminou a minha tranquilidade. Mas será que esta gente não tem noção? Menos, por favor!
O Pai ainda completamente mudo e silencioso, nem ai, nem ui, nem sim, nem sopas. Qual gato Chiu?
De repente... Café  para as meninas de sete aninhos!
- Pronto, aqui está. Agora calem-se e bebam o café devagarinho. Palavras da Mamã.
What? Como disse? Aquela Mãe deu café expresso às pequenas, porque mais vale um café silencioso do que uma birra, um choro passageiro ou um verdadeiro Não.
É certo que cada qual sabe da educação que pretende dar aos filhos, contudo, a meu ver, não havia necessidade. Se é desta forma que calamos e acalmamos os miúdos de hoje em dia fora de casa, imagino então entre quatro paredes.
É de conhecimento geral que por vezes os miúdos não são fáceis, mas quando decidiram ter filhos deveriam contar com birras e afins. Ou não? Serei insensível? Não me parece. Além disso, o mundo não gira ao nosso redor e detesto pessoas que acabam com o sossego alheio de forma gratuita. Bolas!
Bem, sabemos que o café está presente em vários alimentos (chá, chocolates, coca-cola...). Certo.
A cafeína convive com a humanidade há séculos, no entanto, a diferença entre o veneno e o remédio está na dose. Que tal cevada, sumo de fruta, leite?!
Embora alguns estudos demonstrem que dar pequenas doses de café pode ser benéfico no sentido de melhorar a hiperatividade e controlar a criança, na minha opinião, ainda acho que há métodos mais eficazes, com alimentos mais saudáveis, com palavras mais amenas, com um Não se assim for necessário e com cuidado e atenção não aos Ipads desta Vida, mas sim aos filhos que trouxemos ao Mundo.

*E vocês gostam de café?
O que acham de oferecer café a uma criança de 7 anos?

18 comentários:

  1. Como já afirmei, sou dependente da cafeína. Longe dos 15 por dia porque o médico me ameaçou com internamento compulsivo :) Mas tomo agora 4/5 por dia com pouco açúcar. Quanto aos "pais", entre aspas porque penso que ainda não chegaram a esse patamar, depois não se queixem quando as criancinhas crescerem. De tudo o que relataste, ter dado café é a consequência lógica da indiferença e da demissão do papel de pais por parte dos dois adultos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também gosto muito de café mas tento não abusar. Um café por dia e mais um/dois descafeinados, depende sempre do dia. E sim, descafeinado não é a mesma coisa (para quem aprecia café) mas lá está, não posso chegar aos 15. Alerta! :)
      Pois, os pais das meninas não conseguiram controlar as birras... Em relação ao comportamento do Pai, sem comentários.

      Eliminar
  2. Não vivo sem café, e detesto frio. Não sei quem inventou a moda do café com gelo.
    Em relação ao episódio que aqui retratas, o café não lhes vai fazer mal, mas é ridículo. Acho que deixaram de saber educar crianças, faz-me muita confusão quando reparo nos seres humanos que estamos a criar. Deixamos de saber ser pais, quase que se têm filhos porque alguém ditou que assim tinha que ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. inestcastro, um café até pode não lhes fazer mal, mas será que estes pais vão ceder aos caprichos das miúdas desta forma a cada vez que há birra em "casa"? Afinal, quem é o educador e o educando? Hoje um café, amanhã dois. Por vezes é necessário dizer Não, ainda que custe é somente para o bem das crianças. Não falamos de meninas adultas, nem sequer adolescentes, falamos sim de miúdas com apenas 7 anos. É realmente ridículo.

      Volta sempre, és sempre bem vinda. :)

      Eliminar
  3. É uma questão complicada que muitas vezes evito julgar porque tenho uma opinião demasiado corrosiva sobre o assunto e acabo por escandalizar uma grande parte do mundo. O que não quero fazer aqui obviamente. Apenas algumas notas: Antigamente para se receber um "brinde" tínhamos que suar para merecê-lo, hoje dá-se brindes e guloseimas às crianças para sossegá-las e incentivá-las a ser "boazinhas". Isto é, dão um prémio gratuitamente sem elas terem feito nada para o merecer, logo, também não vão dar valor nenhum ao que foi dado. O pai está mudo porque, se calhar, já tentou repreendê-las no passado mas a mãe, se calhar, repreendeu logo o pai por tê-las repreendido (Não vês que ainda são crianças, porra!!). Isto é muito complicado. Uma família tem que estar unida e remar sempre para o mesmo lado. Mesmo que um "educador" diga uma asneira, o outro nunca pode repreendê-lo à frente das crianças para que não ganhem abusos. Diz depois na cama se for preciso.

    Cafeína para a uma criança de 7 anos? Quem tem por hábito dar Coca-cola, Pepsi, Monster, Burn, Red Bull e essas coisas também pode dar-lhe café em pó que não vai parecer incoerente... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Francisco, a atitude da Mãe não foi a melhor, pois não soube controlar as miúdas e celeremente disse Sim quando poderia ter dito Não. Birra de criança, dá e passa.
      Em relação à atitude do Pai ou falta dela, sinceramente, também não esteve bem. Repreendeu uma vez e deve repreender mais se for necessário. Essa tarefa não pertence também ao Pai? Tal como disseste, a família deve estar unida e remar para o mesmo lado, no que à educação dos menores diz respeito.
      Há sempre outras vias, digo eu.
      Ceder às vontades momentâneas da criança apenas porque dá menos trabalho, assim ficam caladas e tranquilas?! Enfim.

      Aqueles que dão Red Bull e companhia aos filhos, poderão também ser incluídos na categoria de pais que deveriam pensar melhor no tipo de pessoas que pretendem formar.

      :)

      Eliminar
    2. Perfeitamente Clementina, mas sabes que hoje em dia os pais são "fixes" porque tem conta no Instagram , no Twitter e no facebook e nunca dizem não aos filhos. Aposto que na hora em que aconteceu estas birras, a mãe (ou o pai) estava a publicar um estado no facebook com o titulo:"Dia feliz na praia com a família".... :)

      Eliminar
    3. Não surpreende se tal acontecer. É o "prato do dia". Sem dúvida, tens razão.
      Nem acho anormal o pessoal querer estar a par das novidades, mas nem oito nem oitenta. O Homem nem olhava para as filhas, para a mulher, para a paisagem... apenas o ipad preenchia o olhar daquela pessoa naquele momento!

      Eliminar
    4. "O pai está mudo porque, se calhar, já tentou repreendê-las no passado mas a mãe, se calhar, repreendeu logo o pai por tê-las repreendido."

      Aposto nisto também!

      Eliminar
    5. Nesse caso, falha de comunicação entre ambos. Não é assim que educa as filhas, em silêncio, indiferente... Julgo eu.

      Eliminar
  4. Café, quente ou até não muito quente, frio não, 99% das vezes sem açúcar, um invariavelmente às 7 da manhã, outro às 10, mais um depois de almoço, e outro a meio da tarde. À noite só se for jantar fora, e às vezes quando estou sozinho em casa, ou se em vez de me levantar às 6 acordei às 5, são 3 de manhã. Adoro. Café.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já vi que há grandes fãs de café por aqui. Também adoro. Café. :)

      Eliminar
  5. Quente, sem açúcar. Sempre cheio. Um por dia. Às vezes nem isso.

    E café em sobremesas - bolo de bolacha, por exemplo - é a cereja no topo do bolo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem açúcar, é para quem aprecia realmente café, puro. Eu idem.
      ...Ou Tiramisú, que fica óptimo também com café. ;)

      Eliminar
    2. Tiramisu é "A" minha sobremesa favorita! :)

      Eliminar
  6. Adoro café e bebo, no mínimo, 5 cafés por dia (sem açúcar nem adoçantes). Gosto tanto de bom café, que cheguei a levar, nas férias, uma máquina pequenina (um pinguim da Dolce Gusto lol) para Espanha, onde o café é quase tão mau como a cerveja. Também já levei cerveja. eheheheheh
    Quanto a dar café às criancinhas, só para não ter o trabalho de as educar, era pegar-lhes pelos pés (às criancinhas) e dar com elas na cara dos papás.
    Há pessoas que deviam ser proibidas de tirar a carta de condução, outras de ter animais e outras ainda, de terem filhos.
    Adotem um "nenuco". eheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jota Esse :D mais alguém que aprecia um bom café sem açúcar.
      O café em Espanha é horrível, sim. Se é que se pode chamar café. É mais uma água com cor...
      O problema é que os bebés e crianças são "fofas" como um Nenuco, mas fazem birras e há quem não saiba lidar com... Dar o exemplo (a história de não largar os telemóveis e aproveitar mais o tempo com os miúdas), seria o ideal mas...

      Eliminar