13 de novembro de 2017

Descabível

Imagem da net

Haja noção, sensibilidade e respeito por quem acabou de perder um familiar. 
Depois há aquelas pessoas, completamente fora da caixa, que vão para o Facebook parabenizar a pessoa falecida. A pessoa morreu, não vai ler as vossas mensagens de parabéns, como se de uma festa de aniversário se tratasse. Que falta de chá!
Não basta passar por dias cinzentos recheados de saudade, ainda é preciso tocar mais na ferida. Tenham dó, poupem-me. 
Há pessoas que não expõem as suas dores constantemente, em aberto... mas não é por isso que não dói. Calma com o andor...
A vida segue, aparentemente, está tudo bem. Ainda não!
Segue, porque não resta alternativa e porque seguir em frente será sempre a melhor homenagem, guardando os melhores momentos para sempre. 
Por vezes não sabemos o que dizer, como reagir perante a morte de alguém. Às vezes não é preciso muito. Um abraço, um olhar, silêncio. É suficiente.

15 comentários:

  1. A isso eu chamo falta de bom censo. Às vezes é cada comentario que eu digo: mas que falta de noção.
    Enfim

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falta de noção, bom senso, sim.
      Enfim... é a palavra correcta, Mena Almeida.

      Eliminar
  2. E aquelas pessoas que no 1º de Novembro, dia de todos os santos, gostam de colocar um raminho de flores na campa de alguém anexando um cartão com o seu nome lá inscrito para que o morto possa saber quem foi que ofereceu as flores...? :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São pessoas que passam por um enorme sofrimento.

      Conheço um casal que perdeu um menino com 5 anos, há uns anos, e ainda hoje a campa está coberta de carrinhos de brincar e outros brinquedos. Custa encarar aquele cenário, mas acredito que para esses pais possa fazer sentido, não sei...

      Eliminar
    2. Clementina, acho que o Francisco estava a fazer ironia das pessoas que gostam de oferecer flores "assinadas" para impressionar a família do defunto em vez de fazer-lhe homenagem.

      Eliminar
  3. As pessoas muitas vezes não têm noção do ridículo e do valor do respeito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, há pessoas que não têm noção... Noção de nada, na verdade.

      Eliminar
  4. Um abraço, um olhar, silêncio. É suficiente.
    Na morte, como na doença, um abraço, um olhar, silêncio. É suficiente.
    O que eu sofri com pessoas a visitarem-me no hospital e a única coisa que tinham para me dizer era para ter calma, porque "todos morremos, um dia", quando eu tinha só 50 anos e um cancro num pulmão e ficava bem só com "Um abraço, um olhar, silêncio."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Guerreiro JS, imagino... E em parte sei do que falas pois acompanhei a luta destas pessoas que mencionei aqui no blog. Ambas!
      É nessas alturas que vemos quem realmente está ao nosso lado, digo eu.
      Fico descansada por saber que estas duas pessoas tiveram muito apoio, de família e amigos com A grande, contudo, durante o processo também assisti a cenas menos felizes e palavras desnecessárias, quando o tal silêncio ou apenas um simples abraço seria o ideal. Suficiente.
      Enfim...

      Eliminar
  5. Infelizmente, há tanta falta de noção que até dói :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, é verdade. Há pessoas que... Não percebo!

      Eliminar
  6. 'Um abraço, um olhar, silêncio. É suficiente': triste mas tão bonito ao mesmo tempo.

    ResponderEliminar